06 junho 2017

[Mini conto] “O lugar secreto”

Oi amores! Tudo bem?
Hoje trago pra vocês algo que andei escrevendo.
Se quiserem ouvir duas das músicas que inspirou esse casal é só clicar nos nomes que será redirecionado. Thinking Out Loud e Amor Transcendental

A noite passa e todos se divertem na festa de casamento mais linda, a qual Beatriz jamais imaginou que pudesse existir. Passam das 23h e pra uma festa que começou às 19h os noivos podem se retirar, mas ela se diverte tanto que nem se importa em ficar mais tempo com os amigos e familiares, além do mais, a pequena Joanne se diverte tanto que ela gostaria de ficar vendo mais um pouco sua filha dançar com seus sobrinhos. Já Dimitri não resiste e quando Beatriz se afasta um pouquinho para beber um copo de água ele a "sequestra" levando-a até “o lugar secreto”.
– Que susto amor! Para onde você está me levando?
– Shiii! Confia em mim?
Mas antes dela responder eles param de andar e Bia se emociona com a visão que tem. Faz mais de 20 anos que ela não ia ali, pensou que o lugar nem existisse mais.
– “O lugar secreto”. . . – Suspira.
A casa da árvore, um lugar que é sagrado para ambos, ela estava linda. Foi ali onde deram o primeiro beijo. Ela sorri com a lembrança.
“Todos os seus amigos já tinham dado o tão esperado primeiro beijo, mas Beatriz e Dimitri não. Ambos sonhavam que seria com alguém especial, e após quase um ano sendo alvos de chacota dos colegas, decidem que a pessoa especial seria eles mesmos, o que teria de mais os melhores amigos dar seu primeiro beijo juntos? E assim combinaram que quando fossem para a casa do lago acabariam de vez com as chacotas e saberiam como é beijar alguém.
Como todo fim de semana eles foram para a casa do lago, sábado ao anoitecer eles subiram na casa da árvore e ficaram conversando sobre assuntos banais enquanto observavam as estrelas. Foi assim que deram o primeiro beijo, tão naturalmente como um casal de namorados”.
Voltando a realidade ela fica paralisada com tamanha beleza da tão conhecida casa da árvore. Bia não sabia como, mas Dimitri havia transformado o lugar em um pequeno santuário dos dois. O chão forrado de pétalas de rosas azuis, lanternas coloridas estrategicamente colocadas em vários pontos dos cômodos, e perto delas vasos com violetas roxas, e o que mais lhe impressionou, fotos espalhadas por todas as paredes, e o teto que antes tinha vários buracos por onde observavam as estrelas, agora era de vidro e podia-se ver completamente o céu estrelado que tanto ama.
"Como ele conseguira todas essas fotos?" Pensou fascinada, enquanto observava diferentes fases da sua vida, algumas até de quando ele ainda estava desaparecido.
– Gostou? – A voz firme e rouca do homem da sua vida pergunta colocando delicadamente a mão em suas costas.
Ela responde positivamente com um aceno de cabeça, pois as lágrimas que escorrem por seu rosto não deixaram sua voz sair.
– Amei. Desde quando você tem todas essas fotos? – pergunta se virando pra ele.
– Comecei a colecionar ainda no secundário, não sei se vai lembrar quando a professora Stein pediu para levarmos um retrato do que mais gostávamos para mostrar pra classe? – Ela confirma. – Então, o meu foi esse. – Ele aponta para um retrato preto e branco a onde Bia está montando um potro.
– Depois sempre que conseguia uma foto sua eu guardava em uma caixinha, e ela foi ficando pequena, então arrumava outras maiores até esse dia... – mostra um foto dela com um vestido de listras horizontais em tons de vermelho, rosa e preto.
– Uau! Essa foto foi do dia que eu parti de viagem há 20 anos. . .
– Sim minha Pimentinha. – diz com um sorriso nos lábios. – Depois que você foi atrás de seus sonhos eu sempre te acompanhei seja por jornal, cartão postal, telefone, Skype, redes sociais ou pela televisão, assisti cada uma de suas entrevistas e li suas reportagens. Vibrei com cada vitória e chorei a cada derrota. Recortava fotos dos jornais, revistas, capturava a tela das chamadas no Skype, revelei algumas fotos do seu blog e de outras redes sociais. – Limpa as lágrimas que insistem em cair. – Mesmo quando eu sumi em missão e todos pensaram que eu havia morrido, a Alianne adorava seu blog e eu não entendia porque eu achava que conhecia a tal modelo Plus size que todos admiravam, e foi logo após a morte da Ali e o nascimento da Joanna que eu descobri que te amava mesmo sem recordar de você. – Ele acarinha os cabelos da mulher que ama desde criança mesmo inconscientemente.
– Como a vida é engraçada, pois eu sempre soube que te amo, mas nunca tive coragem de falar, meu maior medo sempre foi perder a sua amizade.
– Como assim minha Pimentinha não teve coragem? Você é a mulher mais corajosa e forte que eu conheço Beatriz e sempre vai ser o furacão que desestabiliza tudo e todos, principalmente meu mundo.
– Eu sei Dimi, mas sua amizade sempre foi preciosa demais pra tentar arriscar uma declaração e ser rejeitada. O medo de ter meu coração partido e ainda perder meu melhor amigo foi o que me impediu por anos de me declarar. Mas quando você apareceu com a pequena Joanna eu vi que não poderia mais esconder o que eu sinto por você, apesar da falta de memória, você deu a ela um nome que tem todo o significado do mundo para mim e só de pensar em te perder novamente eu me sentia sufocada.
– Você deveria ter me contado desde sempre amor, assim estaríamos mais tempo juntos e talvez muitas dessas coisas ruins não acontecessem.
– E você? Por que não falou que me amava? Na verdade nunca imaginei que me amava. O “senhor certinho” namorava as meninas mais bonitas do colégio e quando fomos para a faculdade você não queria relacionamento com ninguém, só amizade, foi nessa época que meu coração decidiu que queria só você.
– Ah Bia! Eu sempre acreditei que você merecia alguém melhor que eu. Mas descobri que você sempre me amou por inteiro, com falhas, rupturas, repleto de defeitos que ninguém além dos meus melhores amigos enxergava. E você sempre me dizia que o meu maior defeito era ser certinho demais, foi por isso que eu comecei a sair com várias mulheres para ver se você me enxergava diferente, se sentiria ciúmes. Foi nessa época que descobri o que eu sentia por você.
– Eu não preciso te mudar, eu sempre me adaptei e continuarei me adaptando ao seu jeito e você ao meu, pois esse nosso amor não é de agora.
– Realmente, nosso amor surgiu no dia em que nos vimos à primeira vez no jardim de infância, nunca vou me esquecer do seu all star roxo com bolinhas pretas. Mas se pararmos para pensar, um amor tão forte assim deve ter vindo de outras vidas, de outros mundos, outras galáxias, pois essa amizade e algo mais sempre existiram desde a primeira troca de olhares.
Eles quase se fundem em um abraço e após alguns minutos com os rostos encharcados de lágrimas, dão um beijo terno e apaixonado que vai ficando cada vez mais profundo. Delicadamente eles se separam e como em um ritual retiram suas roupas, ambos observam cada detalhe do corpo amado e se possível for, se apaixonam ainda mais um pelo outro. Dimitri pega Beatriz pela mão e a conduz até a cama deitando-a delicadamente, ele percorre todo o corpo da sua mulher com beijos famintos e após um torturante passeio de lábios por sua amada ele toma sua boca e une seus corpos selando assim esse lindo amor.
Espero que gostem.
Beijos, Kim <3

2 comentários

  1. Lindo de mais parabéns Kimberly Kelly tu arrasa menina,sou apaixonada por seus escritos, espero que logo venham mais 😍😍😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo apoio de sempre Alê! 💜💜💜💜💜
      Beijos, Kim 😘😘😘

      Excluir

© BLOG MODERNO À MODA ANTIGA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por